Ética, política e sustentabilidade – as lições de um mineirinho


Certa vez, um grupo de colegas do meu trabalho ouviu por uma tarde o professor mineiro Antonio Carlos Gomes da Costa, discípulo de Paulo Freire e um dos maiores pedagogos do país. Com sua prosa mansa, macia e consistente, como um bom pão de queijo, o professor Antonio Carlos conquistou a todos e naquele dia me tornei seu fã.

Foi a primeira vez que ouvi falar na estranha expressão ética biofílica, que significa uma ética de respeito autêntico e profundo à dignidade da vida em todas as suas manifestações. Ou seja, nada é mais importante do que a vida. Aqui nesse link há um texto do professor que explica em detalhes e cheio de erudição o que isso significa.

Algumas semanas atrás, na revista Trip, encontrei uma matéria com o professor Antonio Carlos e lá constava uma definição muito bacana de sustentabilidade, a partir de uma provocação sobre o mensalão e a ética:

O MENSALÃO E A ÉTICA
“Você tem que pensar nas pessoas, no planeta e no lucro das empresas, é aquela coisa do ‘triple bottom line’, o tripé da sustentabilidade. Porque uma empresa não ter lucro é uma falta de responsabilidade social, porque ela não vai pagar os empregados, não vai pagar impostos, ela não vai viver como empresa. O mensalão mostrou claramente pra gente a importância da ética da co-responsabilidade. [O filósofo político italiano] Norberto Bobbio falou o seguinte: ‘Tudo é política, mas a política não é tudo. Acima da política deve existir alguma coisa capaz de colocar limites na luta legítima dos homens para conquistar, manter e expandir o poder político’. Todo partido quer o máximo de poder pra ter o máximo de infl uência na sociedade. Agora, o que coloca limite na política? É a ética. Então ele falou: ‘Tudo é política, mas a política não é tudo, a ética está acima da política’. Eu falo assim: a empresa que não dá lucro é irresponsável socialmente, ela foi feita pra dar lucro; agora, se você colocar o lucro acima de qualquer outro bem ou interesse, você vai quebrar normas boas de convivência social, você vai fazer propaganda enganosa, você vai superfaturar, que são questões éticas. Então, a ética é a capacidade das pessoas de tomar decisões e agir, porque a ética é a teoria da ação humana.”

Genial.

Veja a matéria completa na revista Trip.

Deixe um comentário

Arquivado em política, Sustentabilidade

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s