Denis, meu feedback sobre a Gotas


Caro Denis,

Como falamos em nosso almoço, ontem, segue meu feedback para a Gotas. Vai aqui, publicamente, porque acho que você não tem problemas com transparência. E nem precisa se preocupar, pois só vi coisa legal. Mesmo.

Meu objetivo ao entrar no avião era escrever o blog para  o TEDxSP (já está no ar, acesse lá:  É conversando que a gente se entende). Gosto de ‘guardar’ momentos como uma viagem de avião para ter concentração total. Entre outras coisas, o avião é o único lugar onde não toca telefone, não chegam e-mails (ainda…).

Só que levei a revista Gotas comigo. Uma única vez na vida fiquei sem ter o que ler na viagem – e foi chato mesmo. Em função disso, carrego sempre um livro e algumas revistas. Acho que a altitude abre minha mente. Ela voa.

E a bateria do computador estava arriada. Ainda bem. Acabei “tendo” que ler a Gotas. Achei uma espécie de mistura de Trip e Piauí, com coisas boas das duas.

Enquanto lia, pensei que o jornalismo vive de ideias, de texto bom. Encontrei isso certa vez e adotei como lema: “Não existe texto longo. Existe, sim, texto chato.”

A aventura editorial, como você mesmo chamou, começou com uma cópia descarada na capa. Cara, vocês chuparam na maior a capa de um livro de Miranda July. E assumiram.

Capa da revista Gotas, 'chupada' sem culpa da capa de um livro de Miranda July

Quer saber, qual o problema? Sempre tive que a imitação é uma homenagem, um presente, um reconhecimento a quem criou algo digno de ser copiado. Jean-Luc Godard disse certa vez que “O problema não é de onde você tira as coisas, mas para onde as leva…”

O problema é esconder. Falta de transparência é um problema.

Continuei lendo a revista e vi outras boas surpresas. A matéria dos rótulos é um achado, uma p. sacada. É reportagem em estado bruto. E é divertida pacas. Começa com um “Arrá!” Chama o rótulo de um produto de “malandrão”. Manda às favas a burocracia e a formalidade.

E me faz lembrar que no mundo 2.0 não existe espaço para enganação. A sociedade passa por um processo de “ensabiamento”. Você deve saber bem que o Pierre Lévy falou bastante sobre isso no conceito de inteligência coletiva. Ele falava do potencial da internet, de certo modo prevendo a tal da Web 2.0.

A transparência está turbinando sites como TripAdvisor e Amazon e qualquer outro que possibilite a avaliação de produtos e serviços. Nenhuma campanha de publicidade resiste a um produto ruim no mundo 2.0. Essa é a inteligência coletiva em ação.

Denis, se me permite, achei que faltou você mencionar o site www.comacomsolhos.com – uma boa ideia que mostra fotos publicitárias comparadas às fotos da vida real de produtos alimentícios à venda por aí. Veja abaixo:

Esfiha do anúncio e da vida real no Habib's

E Denis, francamente, que decepção: o baconzitos não é feito de bacon! Por essa eu não esperava. Que bom, pelo menos não vou passar perto da série de substâncias inomináveis que simulam bacon! (Lembrei de uma frase de um amigo: “o porco é o alquimista da natureza. Transforma lixo em bacon!)

A história de rótulos ‘malandrões’ não é novidade nossa. É praga mundial. Um estudo na Inglaterra mostrou que 98% dos rótulos de produtos autodenominados sustentáveis não tinham nada disso.

E a Gotas segue bem. Há uma matéria falando de como o espaço afeta nossos laços com a comunidade e como se relacionar melhor com a cidade onde vivemos.

Gostei dos infográficos legais, das sacadas de transparência, da discussão cabeça de Lessig e de ver meu amigo Otávio Rodrigues em plena forma.

E, veja só, o voo de São Paulo para Porto Alegre acabou pousando em Floripa quando não conseguiu aterrisar nos pampas devido ao aeroporto fechado.  Deu para ler a revista de cabo a rabo e chegar à conclusão de que nasceu aí um belo projeto editorial.

Denis, força aí, faz esse número 2 decolar. Não deixa essa ideia boa no papel.

Abraço

3 Comentários

Arquivado em Jornalismo, Mundo 2.0, Nova Sociedade

3 Respostas para “Denis, meu feedback sobre a Gotas

  1. Denis

    Pô, Rodrigo, fico orgulhoso. Que legal q vc curtiu assim – sei q é opinião de quem entende tanto de revista quanto de transparência. Ela vai continuar sim!

  2. Pingback: Por que sua vida está cada vez mais difícil e por que ela vai melhorar « A Ficha Caiu

  3. Pingback: A transparência vai melhorar sua vida. Veja como « A Ficha Caiu

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s