Os invencíveis Apaches e a sociedade em rede


Tive um inspirador almoço hoje com @haraujo e @dudex. Um dos assuntos que surgiram foi a diferença entre chefe e líder. Ou entre líder e exemplo, na versão do @haraujo, que contou a inspiradora história da liderança Apache, que vou reproduzir de ‘orelha’ (contando com que o @haraujo possa passar depois a fonte mais completa).

Eu não sabia, mas os americanos demoraram 300 anos para dominar os índios apaches enquanto que os espanhóis levaram só 10 anos para derrotar os incas. E não porque espanhóis eram melhores que americanos. O fato é que os incas tinham uma liderança baseada em um chefe, controle e comando. Quando pegaram o chefe inca, o povo ficou desnorteado e foi mais fácil subjugá-lo.

Com os apaches, a história foi diferente. Eles não tinham um chefe, mas um grande líder — ou um exemplo. Era a pessoa mais inspiradora da tribo, cujos valores e práticas eram reproduzidos por muitos outros índios. Por mais que os americanos pegassem um líder, os outros já sabiam o que fazer e como manter a postura, cultura e crenças da tribo. Era uma sociedade que vivia em rede, trocando informações para continuar coesa.

Para pegá-los, os americanos tiveram que usar um estratagema engenhoso. Os apaches conseguiam viver com pouca comida. Um búfalo era suficiente para partilhar a carne entre muita gente. E ninguém ficava com mais, todos tinham a mesma parte. Assim, privá-los de recursos não era uma estratégia que funcionava bem. Então, os americanos resolveram apresentar a fartura para os índios e deram a eles muitos búfalos para cuidar. E criaram a hierarquia, à medida que os índios começaram a distribuir entre si quantidades diferentes de búfalos por pessoas. Com a hierarquia, foi-se e a rede e assim foi mais fácil dominá-los.

A humanidade está se organizando em rede em uma escala nunca antes vista. Digo em escala, pois a estrutura de redes não é novidades e até formigas o fazem (o livro Emergência, de Steven Johnson fala sobre isso). A internet é uma grande máquina que está até sendo cotada até para levar um prêmio Nobel da Paz. Pensem nisso, é uma máquina que nunca desliga! (No almoço lembramos na hora do computador Hal, de 2001 – uma odisséia no espaço). Como os índios apaches, não há um líder central e essa é a grande beleza das redes. Se sobrarem dois computadores conectados um ao outro de milhões disponíveis pelo mundo, ainda assim a rede existirá.

Um mundo sem hierarquia obviamente nunca existirá, mas a associação em redes é muito benéfica para todos. Essa é a tese central do Renascimento que estamos vivenciando sem ter a menor ideia da dimensão e de onde isso vai parar!

Post relacionados

E lá vem a Geração Z

3 Comentários

Arquivado em Colaboração, Interdependência, Nova Sociedade

3 Respostas para “Os invencíveis Apaches e a sociedade em rede

  1. Pingback: Tweets that mention Os invencíveis Apaches e a sociedade em rede « A Ficha Caiu -- Topsy.com

  2. A boa comparação é dos Apaches com os Aztecas. Você encontrará uma exposição detalhada no livro BRAFMAN, Ori & BECKSTROM, Rod (2006): The starfish and the spider.
    Pode fazer o download da edição em inglês no link abaixo:
    http://www.4shared.com/get/136480400/82292781/The_Starfish_And_The_Spider_Brafman_Beckstrom.html

    • Augusto, valeu pela dica. Recentemente recebi seus livros via Karina Bidermann e encontrei a fonte da organização em rede, da sociedade em rede. Depois foi cair na Escola de Redes etc. Agradeço pelas referências e tenho aprendido muito com você via Twitter.
      Abraço

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s