Devassando os limites?


A polêmica da cerveja Devassa dá muito pano para manga. Sob o ponto de vista de marketing, a marca que contratou a atriz-barra-modelo Paris Hilton fez um golaço. Conseguiu a atenção de todos: no youtube, no twitter, no jornal, na boca das pessoas. Perfeito. Alguns dias depois, passada a ressaca do Carnaval, veio a ressaca do anúncio. O jornal de hoje traz a notícia de que algumas pessoas estão tentando tirar o anúncio do ar, sob a pecha de sexista, com apelo à sensualidade e apelo imperativo ao consumo. Em suma: perturbador da moral. E é mesmo?

Foi interessante acompanhar reações no Twitter, onde a palavra #devassa se tornou trending topic (entre as mais citadas):

@lalcubierre: O anúncio da Devassa tem a ver com um Brasil de fachada. O Brasil real é moralista enrustido.

@mulhermidia: Se queremos um mundo mais humano e justo, como podemos aceitar que comparem uma cerveja com nome Devassa ás mulheres?

@andrelalves: Mais uma vez o Brasil dá provas de sua HIPOCRISIA!! #Devassa não pode mas o apelo sexual que vemos em tudo é “normal”! http://bit.ly/akryOp

@Marcello_Serpa: Devassa perseguida pelo ministério Público? Se eu fosse uma cervejaria lançaria hj a cerveja “Santa”, “Recatada” , “Virtuosa” ou “Virgem”.

@Evalenesilva: Conar qr tirar Paris H. da propag.”cerveja Devassa”alegando apelo à sensualidade e apelo imperativo ao consumo. http://tinyurl.com/ycbuqwt

@fabiobetti O Brasil pode ser moralista enrustido, mas nunca proibiu a bunda de fora e nem a grana na cueca.

Falei com um amigo (@umlitrodeletras ) sobre sobre isso. Ele ligou para dar a dica de fazer esse post. Começou questionando se eu não achava muito moralista essa repercussão da mídia. Eu disse que achava, sim, mas que queria fazer uma ponderação. A seguinte: a sociedade precisa de limites para a vida ser aceitável coletivamente. Talvez a Devassa não seja tão devassa assim (apesar de que a Paris Hilton é para lá de devassa, como vocês devem ver nas fotos abaixo e lembrar do vídeo quente que retratava ela em ação com o namorado), mas ela está beliscando alguns limites.

O Brasil não é tão moralista como a reação das pessoas. Porém, se uma mensagem que testa os limites não tiver repercussão, provavelmente a próxima dará um passo além. Foi assim com a novela quando a Flavia Alessandra testava os limites do pole dancing, não foi? Foi assim quando a atriz Lilian-alguma-coisa apareceu com a periquita de fora ao lado do nada saudoso Itamar Franco.

Durante os quatro dias do Carnaval, tudo pode. Até vagabunda sem calcinha ao lado do Presidente. Mas aí, a ressaca passa e a vida volta ao normal.

Lembro do vocalista de uma banda gringa (não lembro o nome…) que tocou pelado em um show aqui no Brasil e foi parar na delegacia. O sujeito se saiu com essa: “Vejo pela TV todo mundo pelado no carnaval no Brasil. Por que eu também não poderia?” Não sei se alguém explicou para ele, mas isso só vale no Carnaval….

O calor dos trópicos, a diversidade, a sensualidade da mulher brasileira, a cordialidade do homem brasileiro são lados positivos de uma cultura que tem uma grande liberalidade política, uma semi-barbárie no trânsito, uma condescendência com os ídolos como jogadores de futebol que aprontam de tudo e nada pagam. Essa antropologia rasa como uma boa conversa de botequim regada a cerveja Devassa são algumas das faces de uma vida atraente que os brasileiros levam. Estrangeiros que provam desse paraíso ou ficam por aqui ou dão um jeito de voltar. É bom viver na liberalidade do Brasil. Mas há limites. Como sociedade em processo de amadurecimento, ainda estamos descobrindo quais são eles.

Deixo uma pergunta: com toda a verba publicitária de uma marca de cerveja, com o poder de escolher o que colocar no ar e com uma agência de publicidade na mão, a coisa a se fazer é uma campanha tipo “Devassa”? Sei lá… cada um trabalha para construir a sociedade que acha melhor. Ou para encher os bolsos e só. Só lembrando, a dona da marca é a Schincariol, que recentemente teve diretor preso em operação de sonegação da Polícia Federal.

Para ler mais:

https://afichacaiu.wordpress.com/2009/09/04/dm9ddb-and-their-video-for-wwf-on-vimeo/

Alguns anúncios criativos de cerveja

6 Comentários

Arquivado em Comunicação, Nova Sociedade, Questões

6 Respostas para “Devassando os limites?

  1. Rodrigo…não teve uma lei ou o que quer que seja proibindo a ligação entre sensualidade e propaganda de bebibas/cigarros?
    Tanto que a Skol vem fazendo propagandas cuper inteligentes e divertidas…saindo daquela chatice de mesa de bar (olha que eu odeio cerveja)….
    O engraçado é saber que nem todo mundo sabe quem é aquela loira da propaganda…. nem sabem que ela é mesmo uma devassa!

  2. Douglas

    Cerveja da Geysa…

    Rodrigo,
    acho que segue a mesma linha de raciocínio das cenas lastimáveis do repúdio à Geysa. O indivíduo compra, assiste e estimula a exibição mas repudia no coletivo.
    Duvido que agregue algo à marca, além de agregagar à Schincariol a imagem Mrs. Hilton como devassa da web (lembra-se do vídeo??). Conar já agindo:
    http://veja.abril.com.br/noticia/variedades/propaganda-paris-hilton-acusada-sexista-535766.shtml

    • Fala, Douglas! Bem-vindo!
      Tem gente que defende que é só uma propaganda de cerveja, e daí? Eu ainda acho que poderia ser algo mais construtivo. Parece humor da Zorra Total. Totalmente apelativo e, consequentemente, tosco… SEm agregar muita coisa..
      Abraço

  3. Julius

    Não é moralismo, é protecionismo! Vai ver o pessoal ficou ofendido com a bunda da gringa. Aqui só pode bunda brasileira: grande, morena e com pelinhos dourados! Fora com essa magrela degenerada!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s