A sacola plástica e a vida na Terra


Nós e as sacolas plásticas

Como as indústrias de tabaco e madeireira, que despertam muitos sentimentos negativos na sociedade e nos consumidores, a indústria plástica está prestes a se tornar o próximo alvo (se já não se tornou…). Não faltam campanhas com o objetivo de desqualificar o seu uso, lembrando dos terríveis impactos que causam para o meio-ambiente. Só para lembrar, uma sacola plástica pode levar até 500 anos para se decompor. Já há tentativas de produzir o plástico biodegradável (ainda não ouvi nenhuma recomendação positiva sobre isso, se alguém souber favor avisar) e até o esforço da associação de indústrias plásticas de lembrar o valor das sacolinhas.

É inegável a praticidade que trouxeram ao dia-a-dia. Ainda lembro de ir ao supermercado e voltar com as compras em sacolas de papel. Aposto que nenhum Geração Y (como são conhecidas as pessoas nascidas na década de 80 – ou millennials em outra abordagem) lembra disso. Mas também lembro de minha mãe usando carrinho de feira para trazer aquelas coisas que não se podia transportar nas sacolas de papel, como objetos de geladeira, que molhavam o papelão e faziam todas as compras caírem no chão.

Como tudo na vida, a sacola plástica tem seu lado positivo e negativo. O problema é o excesso. Uso em excesso neste caso… A já famosa mancha de plástico no Oceano Pacífico é dar medo. Ainda não vi nenhuma foto sobre isso, parece uma lenda urbana, mas os estudos confirmam que existem. Afinal, para onde iriam as sacolas plásticas. Os balões, feitos de plástico, vão para um lugar idílico (veja aqui).

Já as sacolas, vão para o seu próprio paraíso. A grande mancha plástica do pacífico… Como conta, em tom épico, este vídeo produzido pela ONG Heal the Bay, na Califórnia, onde se utilizam 19 bilhões de sacolas plásticas por ano.

Esta outra versão apresenta um filme que é parte da série FutureStates, feita de 11 mini-ficções que exploram cenários hipotéticos para o nosso futuro por meio da lente da realidade hoje. É uma biografia da sacola plástica. De dar dó. A sacola humanizada, falando em inglês, com sotaque estrangeiro (voz de Werner Herzog), procurando o seu genitor (maker). Quase uma andróide de Blade Runner, buscando sentido para a vida… Coitada.

Mais impactante que isso só a cena da sacola rodando no vazio, no belíssimo “Beleza Americana”:

Não há mensagem aparente na versão do diretor Sam Mendes, do vencedor do Oscar Beleza Americana. Só aquela que a poesia consegue entregar. Lúgubre. Melancólica. Existencial.

Pausa. Corta para a Plastivida. Tentando mostrar a importância da sacola plástica.

Pense no lixo da sua cozinha. Para onde ele vai depois que entra no saco plástico? Pouca gente sabe. Pouca gente se preocupa com isso. Poucos têm tempo para fazer compostagem de lixo ou mesmo para ir até o “ecoponto” mais próximo reciclar o lixo. É mais fácil ser contra a sacola. E não estou aqui para criticar, querer banir o uso da sacola plástica. É, sim, algo para se preocupar. Mas ainda está longe o dia que vou deixar de usar sacolas plásticas. Recuso-as no supermercado, onde quer que eu vá. Levo sacolas de lona (que estão quase ficando chics), mas ainda é pouco perto do problema do uso indiscriminado das sacolinhas. O que fazer? Aceita-se sugestões.

Independente da mensagem, fica a lição de buscar novos jeitos (interessantes) para falar de assuntos sérios e importantes. Nada de ficar “enchendo o saco” do amigo dizendo que ele vai acabar com o planeta se continuar usando sacola plástica, mas, sim, buscar chamar a atenção de maneira criativa…

Leia mais na SuperInteressante

A Terra, a milhões de quilômetros

Enquanto isso, a 114 milhões de milhas de distância, a sonda Messenger, da Nasa, tira uma foto da Terra e da Lua, nos colocando na nossa insignificância. Num universo tão grande, do qual não conseguimos imaginar em nosso cérebro sua vastidão, cá estamos vivendo o privilégio da vida. E transformando petróleo em plástico. Tirando algo que durou milhões de anos para se formar do fundo da terra e jogando para atmosfera, causando aquecimento global e poluição. Espero que ninguém esteja vendo isso ao lado da sonda Messenger.

A Terra e a Lua a 114 milhões de milhas na perspectiva da Messenger

Leia mais: http://www.dailymail.co.uk/sciencetech/article-1305422/Incredible-image-Moon-orbiting-Earth-taken-Nasa-probe-114-million-miles-away.html#ixzz0y3S4r4rG

TED Talk da semana – Dimitar Sasselov

Como encontramos centenas de planetas parecidos com a Terra (clique aqui para ver em português)

Anúncios

10 Comentários

Arquivado em Comunicação, Mundo 2.0, Nova Sociedade, Sustentabilidade

10 Respostas para “A sacola plástica e a vida na Terra

  1. Rodrigo, esse “sei que existe uma enorme mancha no Pacífico, mas nunca vi uma foto” é emblemático nessas campanhas ecológicas. Não dá para um avião do Greenpeace ir lá? Ninguém tem uma máquina fotográfica? Ou a mancha não existe de verdade? Será mais um efeito especial do Al Gore?

    Outra pergunta: eu uso as sacolas de plástico do supermercado como lixo. Se eu parar de pegá-las, onde vou colocar o lixo? Vou comprar sacos de lixo? Mas os sacos de lixo não poluem também?

    Esses vídeos ecológicos estão ficando muito bem produzidos, você não acha? Para movimentos feitos quase de forma voluntária, será que não é muito dinheiro que está sendo gasto? Por que será que não falam de fraldas descartáveis? Aliás, filho de ecologista usa fralda de pano? Nunca vi…

    Atenciosamente, Rodolfo.

    • Rodolfo, fui fazer a lição de casa (tardiamente) e encontrei estas fotos aqui no Google (http://www.google.com.br/images?um=1&hl=pt-BR&tbs=isch:1&&sa=X&ei=L7t9TKdvhbSVB7vdhewL&ved=0CB8QBSgA&q=plastic+in+pacific&spell=1&biw=1278&bih=604) e também uma matéria sobre o assunto. http://planetgreen.discovery.com/travel-outdoors/the-pacific-garbage-patch-explained.html

      Como já saiu em fontes de credibilidade, eu acredito que exista a tal da mancha plástica. Já estive navegando em algumas ilhas da indonésia e vi em alguns lugares uma grande quantidade de plástico boiando a esmo.

      Concordo com você sobre o dilema da sacola plástica. Não há resposta fácil sobre isso, que é um excelente exemplo do momento de transição em que vivemos. É uma contradição mesmo recusar sacolas e ter que utilizá-las no lixo e acho que o uso racional é o melhor caminho. Levando ao extremo, é possível descartar o lixo nos recipientes indicados e se forem bem lavados, não será preciso usar plástico. Mas aí, desperdiça-se água… também não sei a resposta e de novo acho que podemos tentar diminuir ou racionalizar o uso.

      O dinheiro que está sendo investido nestas campanhas tem o objetivo de conscientizar as pessoas. Acho que é melhor gastar dinheiro nisso do que pagar o cachê da Paris Hilton e chamá-la de devassa para vender cerveja… Usei um exemplo de um debate recente com o objetivo de levantar um ponto: que tipo de atitudes e práticas queremos valorizar?

      Sobre fraldas descartáveis, só quem tem filho sabe. E eu conheço algumas pessoas que usam fraldas laváveis, versão neosustentável para as fraldas de pano. Ah, tem que ter tempo de lavar…

      Valeu pela provocação.
      Rodrigo

  2. Fábio Carvalhaes

    Fiz uma breve pesquisa, e descobri aqui mesmo no Brasil o desenvolvimento de embalagem a base de amido que seria Biodegradavel, cientificamente não sei ao certo seu real impacto, mais a matéria esta interessante http://migre.me/1bxeK .

    Na indas e vindas ao supermercado não tenho o hábito de utilização de Sacolas Ecológicas mais sem duvida é bem racional. Mesmo assim utilizo as sacolas plasticas de maneira muito racionada e reutilizo para descarte de lixo orgânico, se eventualmente tenho alguma sobra descarto junto ao lixo reciclavel, por duas razões :

    1. Reduz o impacto no meio ambiente

    2. Gera renda para a família que entrego este material, pois em seguida eles as revendem para empresas de reciclagem.

  3. Rodrigo, tenho essas dúvidas sempre. Por enquanto continuo utilizando as sacolas plásticas do super para o lixo. Agora, quando subo a serra e fico lá no sítio é que tenho a exata noção da quantidade de plástico em nossas vidas urbanas. Se fico por lá uns três dias, volto com um lixinho só com poucas sacolas plásticas, o restante reaproveito tudo.
    Sempre ando por aqui lendo seus posts, que gosto muito. beijos nos4.

  4. Quase como um debate Ciência/Religião, o nosso blog pretende reafirmar factos científicos e crenças religiosas, apresentar controvérsias e conspirações, argumentar, refutar, reforçar ou mesmo contrariar afirmações já aceites pela sociedade actualmente, como forma de chegar mais perto da verdade que desde cedo “atormenta” a raça humana – O quê ou quem criou o Universo?

    Pode ainda encontrar-nos:

    No YouTube:

    http://www.youtube.com/OrigemDoUniverso

    No DiHitt:

    http://www.dihitt.com.br/Universe

    No Twitter:

    http://twitter.com/criacaouniverso

    No Facebook:

    http://www.facebook.com/#!/pages/Criacao-do-Universo-Intencao-ou-Acaso/163740210337460

    Se quiser fazer parceria é so contactar no blog e falaremos acerca disso, temos imenso gosto em publicitar outros blogs.

    Para alguma informação adicional contactar: aorigem@live.com

  5. Pingback: O melhor de 2010 | A Ficha Caiu

  6. Renata

    Otimo texto, Rô!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s