Em 2011, viva o lado positivo da vida


É melhor sempre olhar para o lado positivo da vida

Em 2011, gostaria de melhorar isso, fazer mais daquilo e deixar de fazer isso ou finalmente parar de…

Em geral, as listas de ano novo têm a ver com fazer algo que fazemos pouco ou passar a fazer algo que não fazemos. Ou, como melhorar nossos pontos fracos. E quem disse que precisa ser assim? Que tal se a gente resolve focar em melhorar aquilo que já fazemos bem? Por que perder energia tentando melhorar algo que vamos precisar conhecer a fundo, que vai exigir dedicação e esforço (e talvez frustrações), quando talvez  a receita para a felicidade, que inclui um ano melhor, pode estar naquilo que já fazemos?

Ou seja, abaixo listas de ano novo pretensiosas e frustrantes! Nunca fiz nenhuma delas e (talvez por isso) sempre acho que meus anos foram bons. Excluindo as fatalidades da vida, acho que podemos, sim, fazer nossas escolhas e sermos felizes com elas. Ter consciência sobre a importâcia de escolher é meio caminho andado.

Acho que não por acaso, ontem mesmo encontrei menção científica a esta sensação. Foi no livro The Happiness Hypothesis, de Jonathan Haidt, uma espécie de bíblia para mim em 2010. Como diz o site do livro, não é um livro de autoajuda, mas se você quiser usar como tal, tudo bem? Usei mais como fonte para autoconhecimento do que qualquer outra coisa. Dica de um grande cara que conheci no TED Global, o Sandro, encontrei muitas referências bacanas para este blog e para o dia-a-dia.

 

O livro The Happiness Hypothesis: bíblia em 2010

Em 1998, um psicólogo chamado Martin Seligman fundou a Psicologia Positiva, quando ele caiu em si que a psicologia estava obcecada em identificar patologias e com o lado negro da natureza humana, deixando de lado tudo o que era virtuoso e nobre. Seligman viu que os psicólogos haviam criado manuais enormes de desordens mentais, mas ninguém havia criado uma linguagem ou padrão para identificar os grandes achados de saúde, talentos ou potenciais humanos. E aí ele resolveu criar um manual para diagnosticar forças e virtudes. Gênio!

Com o colega Chris Peterson, da Universidade de Michigan, fizeram uma lista exaustiva de todas as virtudes que conseguiram achar em lugares como os livros sagrados das principais religiões e até em juramentos de escoteiros. Compararam todas e tentaram chegar a uma lista comum. Acabaram achando seis virtudes ˜universais˜: sabedoria, coragem, humanidade, justiça, temperança e transcedência. São universais porque, como explica Haydt no livro, ninguém em nenhuma cultura irá dizer para os filhos serem covardes ou intrinsecamente maus.

Por serem um tanto abstratas, a análise destas virtudes permite uma visão mais aprofundada e que é usada para organizar forças de caráter mais específicas. Peterson e Seligman sugeriram que existem 24 princípios de forças de caráter dentro das 6 grandes virtudes. (Eles têm um site onde você pode fazer um teste, em inglês, sobre suas forças de caráter para ver quais você pode explorar melhor: http://www.authentichappiness.org)

Sabedoria

– Curiosidade, Vontade de aprender, Julgamento, Inventividade, Inteligência emocional, Perspectiva

Coragem

– Valentia, Perserverança, Integridade

Humanidade

Bondade, Amor

Justiça

– Cidadania, equidade, liderança

Temperança

– Autocontrole, Prudência, Humildade

Transcedência

Apreciação de beleza e excelência, Gratidão, Esperança, Espiritualidade, Perdão, Humor, Entusiasmo

Há quem sinta falta de algo e isso não é um problema, porque a lista é recente e ainda em desenvolvimento. Por exemplo, por que bom humor não está aí? Ou inteligência, respeito, senso de responsabilidade? A conversação está em aberto, mas o ponto principal na minha opinião é colocar luz nisto. Valorizar a metade cheia do copo.

Se tem algo que incomoda é a visão negativista da vida, gente reclamando, dizendo que não vai dar certo. Em 2010, mantive uma distância saudável destas visões de mundo. Não que eu não precisemos conviver com isso, afinal a diversidade é um dos grandes aprendizados da vida, mas certamente não irei procurar visões baixo-astral. Se a vida é feita de escolhas, então vamos escolher o que é bom, o que é legal. Gente de bem com a vida! Ou, como disse Jabor, a vida gosta de quem gosta dela!

A vida gosta de quem gosta dela!, disse Jabor no filme A Suprema Felicidade

6 Comentários

Arquivado em Comunicação, Felicidade, Inspiração

6 Respostas para “Em 2011, viva o lado positivo da vida

  1. Fábio Carvalhaes

    2x Sempre muito estimulante!

  2. Lito

    Sensacional!!! Viva 2011

  3. Uma boa inspiração para entrar em 2011 com o pé direito, lucidez e consciência.
    Feliz Ano Novo a todos!

  4. Pingback: O melhor de 2010 – parte 3 | A Ficha Caiu

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s