18 minutos que transformam


Paisagem lúgubre nas Highlands escocesas

Este foi o segundo texto da minha coluna na Vida Simples, publicado em agosto.

O abre é uma foto de Edinburgo. Para ver outras fotos deste álbum, vá no Flickr.

=========

“Por quê as falas do TED e dos TEDx têm apenas 18 minutos? Certa vez, o curador da conferência, Chris Anderson, respondeu que este é um tempo suficientemente longo para ser sério e curto o suficiente para prender a atenção das pessoas. Ele disse ainda que é uma duração que funciona muito bem em uma transmissão online. Hoje, temos cada vez menos tempo para dar conta de tudo que queremos ler, fazer, escrever, organizar.

A internet disponibilizou acesso e informações para um número cada vez maior de pessoas. Nossos amigos estão na rede, enviando ainda mais informações, compartilhando coisas que fazem no seu dia-a-dia. E mesmo quem não está na rede, certamente já foi convidado a entrar.

Com tanto para fazer online, raramente alguém encontra tempo ou paciência para ver um vídeo de 45 minutos ou mais na frente do computador. Mas 18 minutos, muita gente tem…

Este modelo de falas curtas do TED funciona porque a mensagem é forte e quase sempre cativante. Vale pensar nisso por um instante.  Em quantos eventos você já foi em que bocejou durante uma palestra maçante de 1 hora? E logo depois, ainda viria outra mais maçante ainda… Alguns amigos já disseram que a vantagem de uma fala do TED é o fato de que se for muito legal, 18 minutos podem até parecer pouco, mas satisfazem. Mas se for chato, vai acabar logo.

Como são mensagens bem empacotadas, com altas doses de conhecimento, quando encadeadas, as falas do TED e TEDx têm uma força avassaladora. As conferências do TED multiplicam o impacto das falas individuais. No ano passado, fui pela primeira vez a uma conferência oficial do TED, em Oxford, Inglaterra. Lá, uma das pessoas da equipe da conferência disse que o cérebro iria fritar. Foi o que aconteceu no início do terceiro dos quatro dias de palestras (cerca de 50 no total). Coisas que não fizeram sentido naqueles dias fizeram algumas semanas depois. Não tanto na seguinte, quando não consegui nem trabalhar direito.

Alguns meses depois, tomei a decisão de sair do meu emprego, ouvindo a minha intuição. Certas falas daquele evento em Oxford foram marcantes para isso: Nic Marks, Tim Jackson, Julian Assange, Sugata Mitra, John Hardy – procure estas palestra em TED.com)

Nem pouco, nem muito, 18 minutos, cada um do seu jeito, quando bem aplicados podem ser transformadores.

(Quando você estiver lendo esta coluna, já terei voltado de Edimburgo, onde acontecerá o TEDGlobal. Certamente, voltarei um pouco diferente.)”

 

 

 

 

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Educação

2 Respostas para “18 minutos que transformam

  1. Muito bom!! Gosto da linguagem TED. É a sua cara Rô!! Muitos dos curtos encontros que tivemos, que quase sempre não passavam de 18 minutos fizeram grande diferença na minha vida… saudades de você!!! Beijão!
    Andy

  2. Andy, um feedback! rsrsrs Vida corrida! Mas é verdade, nossas conversas sempre são legais! saudades tb. Beijo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s