Arquivo da tag: Surfe

27 metros – A maior onda já surfada

No mundo do surfe, existe uma busca para surfar uma onda de 30 metros. Uma onda de 100 pés, na métrica dos surfistas. São monstros oceânicos que só permitem serem cavalgados por meio do tow-in, uma técnica que possibilita que um surfista coloque o outro em uma onda por meio do jet-ski. Desta maneira, há velocidade suficiente para conseguir dar conta de deslizar mais rapidamente que a velocidade da onda — algo que não seria possível na remada.

No ano passado, um brasileiro, o Danilo Couto, ganhou o título de maior onda surfada na remada. O drop (descida na onda) que o fez ganhar foi uma insanidade. O palco era Jaws (mandíbulas), uma das ondas mais perigosas do mundo. Chamada de Pea’hi, em havaiano.

Danilo Couto desce uma onda de 20 metros na remada. Foto: Erik Aeder (revista Trip)

Nesta semana, Garrett McNamara, um cara nascido longe do mar, em Milwaukee, nos EUA, surfou uma onda calculada em 27 metros, a maior já surfada até agora. As imagens são impressionantes.

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=dyBzYCEyUlE]

São de dar medo, mas ainda acho que o amigo de Garret, Laird Hamilton, surfou uma onda ainda mais cavernosa, esta abaixo, em Teahupoo, no Haiti. 

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=pYQQtxb8wv0]

E o mais próximo que algum dia chegarei destas ondas gigantes surfando é por tabela, com meu amigo Pedro “Manga” Aguiar, a grande inspiração aquática deste blog. Manga estava em Teahupoo no maior mar já surfado por lá. Surfe gigante é um esporte diferente. Exige dedicação total. Não é coisa para final de semana. No ano 2000, passei dois meses com meu irmão e um grupo de mais 4 amigos surfando na Indonésia. Todos voltaram para suas vidas normais, mais cedo ou mais tarde. Menos o Pedro Manga. A vida normal dele é viajar pelo mundo, em busca das grandes ondas. A recompensa está abaixo. Põe pra baixo, Pedruglio!

Pedro Manga colocando para baixo em Teahupoo, no Taiti

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=Ogm_OZ8xpTE]

 

>> Para quem quiser saber mais, vale a pena ler o livro “A Onda”, escrito pela jornalista Susan Casey, sobre aquecimento global e as incríveis ondas de mais de 30 metros que andam aparecendo por aí. 

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Surfe

A arte de deslizar – parte 3

Aí vai mais uma sessão sobre a arte de deslizar. (Veja as anteriores aqui e aqui.)

1. Surfe noturno –

A incrível capacidade humana de produzir coisas belas

2. Surfe no Waimea River

E tudo começou com uma “cavadinha” na areia. Para quem não sabe, Waimea é uma das mecas do surfe mundial, palco de ondas gigantes no inverno havaiano.

3. Surfe de rio na Indonésia

Seven Ghosts ou “The Bono”. Meu amigo Serginho Laus diz que na Amazônia temos ondas melhores do que na Indonésia, o que nos falta são recursos para produzir imagens como estas! Não duvido nem um pouco!

4. Jet Ski na crista da onda

A arte de deslizar – e de se abaixar também! Olhem de onde aparece o jetski e como o sujeito consegue desviar!

5. Surfando o tsunami

É claro que não é um tsunami, mas esta onda é grande o suficiente para parecer um. Um dos videos mais acessados (se não o mais acessado) de surf no YouTube.

6. Surfando em Jaws à noite.

Jaws é um dos lugares que suporta as maiores ondulações surfáveis do planeta. Não satisfeito em surfar ondas gigantes, este cara chamado Mark Visser surfou esta onda gigante à noite.

E nunca esqueça de deslizar!

Deixe um comentário

Arquivado em Surfe

E o importante é deslizar…

Força, poesia e plástica. Três adjetivos que deslizam como as pranchas e os corpos nestes vídeos abaixo.

William Laity, o sujeito que quebrou o recorde mundial surfando 147 ondas em 26 horas. O mar estava horrível e a água congelante…

Killian Martin, o sujeito que transformou skate em arte com ajuda fundamental da forma na apresentação! (2 videos)

Os publicitários que trouxeram o efeito Matrix para dentro da água. (video + making of)

O aventureiro que surfa as pororocas pelo mundo, dono do recorde de onda mais longa já surfada no mundo (meu brother Serginho Laus, palestrante do TEDx Amazônia – video ainda não entrou no ar).

Os malucos que voam pelos ares nos fiordes nórdicos.

Só a arte para expressar tão bem os sentimentos. E o importante é deslizar… sempre!

2 Comentários

Arquivado em Surfe

O espírito do surfe

Uma pausa nos posts de ideias, inovação e razão para falar um pouco de sensibilidade.

Acabei de ver estes dois vídeos sobre a despedida do surfista Andy Irons (leia mais aqui), o único que conseguia fazer frente ao decacampeão (10 vezes!) Kelly Slater (Slater acabou de ganhar este título e dedicar ao ex-rival, dizendo que trocaria os títulos para tê-lo de volta).

Fiquei impressionado com estas lindas homenagens. A morte de Irons ainda é controversa (dengue, drogas, enfim). Indiferente a isso, essa reunião abaixo transborda amizade e talento, que atraiu a admiração destas centenas (milhares?) de pessoas em alto mar.

É o espírito do surfe em estado puro.

Vale a pena ver e se emocionar.

 

2 Comentários

Arquivado em Surfe

R.I.P Andy Irons

De vez em quando, este blog ganha foco em alguma coisa. O tema da vez é o surfe, influenciado pela viagem à Costa Rica, há menos de um mês. Não planejava escrever de novo sobre surfe, mas aqui fica o registro da morte do surfista profissional Andy Irons.

Kelly Slater está para o surfe como Pelé está (estava) para o futebol. E se o Pelé não teve adversários à altura, como Senna teve na F1 (Alain Prost) e como Schumacher não teve também na F1, Slater tinha o Andy Irons. Morreu de dengue hemorrágica e chocou o mundo do surfe.

Ver um surfista profissional morrendo em ação, em um mar perigoso ou mesmo gigante, faz parte do dia-a-dia de um esporte radical. Mas morrer aos 32 anos, em plena forma, deixando uma mulher grávida de 8 meses, entre uma competição e outra, por conta de uma doença, nos faz lembrar que um mosquito é capaz de tirar a vida humana – frágil…

Abaixo, fica a homenagem a Andy Irons, num video que ele próprio gravou dizendo porque surfava. Vejam o talento para surfar a onda  do minuto 2 do filme.

“Surf is the reason that keeps me going…”

 

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Everyday in Costa Rica is like a dream

Bob, garantindo a vida de sonho na Costa Rica

“Desde quando vocês vivem aqui?”- perguntei.

“Faz 5 anos e 3 meses”, respondeu Bob, de cabelo branco raspado e couro cabeludo esbranquiçado contrastando com a cor bronzeada da pele que reveste um corpo esquálido, com não mais do que 5% de gordura.

“Vocês vieram juntos?”, apontei para a filha, que separava fotos da sessão de ondas na Playa Negra, em um sofá confortável, de almofadas vermelhas revestindo a madeira nativa, emoldurados por uma enorme prancha de longboard que não deve entrar na água há um bom tempo.

“Ah, sim, eu, minha esposa, três filhos e duas netas!”

“E até quando vão viver aqui?”

“Até o último dia da minha vida”, respondeu com olhar seguro por trás de um óculos redondo de fino aro preto.

“Então, vocês gostam mesmo daqui!”

Pausa… Suspiro.

“Everyday in Costa Rica is like a dream”, respondeu em tom grave, solene e orgulhoso.

Bob encontrou seu espaço no paraíso. Quando saímos da água, sua filha, cujo nome ficou na Costa Rica, veio correndo até nós. Apontou para seu pai e disse: “temos boas fotos de vocês na sessão de hoje”. E nos entregou um cartão plastificado onde lia-se: Bob Stonefish Photography.

Depois das ondas, as fotos

Para os surfistas solitários, o pacote de fotografias custa 50 dólares. Nós, que estávamos em quatro, pagamos 20 dólares cada um. Levamos 350 fotos para casa.

Valeu, Bob!

“Eu e meu pai surfávamos juntos praticamente todos os dias lá em Oregon”, lembrou a filha.

Na beira da água quente da Costa Rica, Bob garante o sustento da família. A casa é simples e as netas brincam no jardim repleto de vegetação luxuriante típica da América Central.

Logo antes de Bob descer do segundo andar e dizer que todo dia na Costa Rica era como um sonho, sua filha ainda tinha dúvidas.

“Você gosta daqui?”, perguntei.

“Sim, este lugar é demais. Só fico preocupada com as oportunidades para minha filha. Ela não aprende nada na escola.”

“Mas ela só tem 5 anos!”- respondi.

“Sim, mas já podia estar aprendendo alguma coisa, como o ABC, números. Mas nem isso. Acho que vamos voltar para Oregon. Lá ela terá mais oportunidades.”

Qual o caminho para a neta de Bob?

Na hora de ir embora, a filha de Bob nos pediu uma carona até a praia, para brincar com a filha.Eram 2h da tarde. A menininha nos contou de seu dia-a-dia na escola, alternando entre inglês e espanhol. Tinha o cabelo loiro, lindos olhos verdes, pele alva. E não passou protetor solar. “Esqueci de trazer”, disse sua mãe. E este foi mais um dia de sonho na Costa Rica.

Everyday in Costa Rica is like a dream...

3 Comentários

Arquivado em Felicidade, Surfe, Sustentabilidade, Viagens

A pedra bruxa

Roca Bruja, Costa Rica, upload feito originalmente por Rodrigo VdaC.

Esta é a Roca Bruja, uma pedra no meio do nada, na Playa Naranjo, noroeste da Costa Rica. Lá fica uma famosa onda, chamada também de Witch`s Rock, pois é destino preferido de surfistas do mundo inteiro. Este lugar abriga um das dezenas de parques nacionais que cobrem 25% do território da Costa Rica.

Fica a foto enquanto não coloco mais informações sobre a viagem por aqui. Mais fotos estão no flickr.com/rodrigocvc

Deixe um comentário

Arquivado em Surfe, Viagens